close
Avaliar

4 Formas para usar o Kahoot! em sala de aula

A avaliação formativa é fundamental para monitorizar a compreensão dos conteúdos e a eficácia das nossas práticas. Esta é uma forma podemos verificar o que está a funcionar bem, mal ou assim-assim. E tentar reformular as nossas práticas de forma contextualizada. Esta monitorização pode ser simplificada e, de certa forma, automatizada, utilizando as ferramentas digitais como suporte a esta tarefa.

São muitas as ferramentas existentes que permitem criar sistemas de monitorização da avaliação formativa dos alunos. Já dei exemplos aqui no blogue e irei abordar com mais detalhe alguns deles. No entanto, em primeiro lugar, é importante que cada professor possa definir a sua própria estratégia. Mais do que nunca, o mundo online, tal como está concebido, não define caminhos únicos nem totalmente corretos. Este facto é excelente porque, desta forma, podemos adaptar os processos às nossas preferências e competências.

Na tentativa de utilização das tecnologias, posso elencar alguns dos maiores erros:

  1. ignorar que as ferramentas existem;
  2. demonstrar a sua disfunção sem sequer experimentar;
  3. assumir que não são úteis;
  4. afirmar que os alunos nunca irão utilizar as tecnologias de forma correta
  5. e mais uma catrefada de motivos bastante convincentes…

No meu ponto de vista (e não só), é muito importante mudar práticas, aprender a utilizar novas ferramentas que nos simplifiquem a vida e entender como podemos chegar a um novo tipo de alunos. Para isso é necessária muita investigação, leitura, testes, reformulações até conseguirmos algo que nos deixe contentes.

Desviar a atenção? Como assim?

Foto criada por freepik – br.freepik.com (alterada)

Um dos principais desafios, no meu entender, é conseguir desviar a atenção dos alunos no smartphone. Digo no smarthone porque, por muito que queiramos, mesmo que “ele” não esteja visível, é lá que está a atenção de uma grande parte dos alunos (e de muitos adultos).

Então a “luta” pode estar em “como rentabilizá-lo” em prol da aprendizagem?

Independentemente das nossas crenças e convicções, convido-vos a pesquisar um pouco sobre o tema Mobile Learning. É muito interessante perceber de que forma se poderá tirar vantagem para a evolução, dedicação e empenho dos alunos através da utilização do equipamento mais conflituoso nas escolas.

Voltando ao essencial, como desviar a atenção no smartphone?

Ocupando-o com algo que nós achamos mais conveniente. Devemos e podemos levar conteúdos até ao pequeno ecrã dos nossos alunos.

O importante é perceber de que forma e em que formato é que o conteúdo lá chega. É aqui que o trabalho de criatividade é fundamental.

Mas criatividade aplicada aos contextos atuais, evitando apenas transpor as ideias anteriores com recurso às tecnologias.

É importante entender as ferramentas, ver exemplos já testados de aplicabilidade, criar conteúdos em colaboração e depois: Testar, Avaliar e Reajustar.

Voltando ao tema deste artigo… Kahoot!

Num dos primeiros artigos deste blogue (ver aqui) fiz referência a esta ferramenta. O Kahoot! permite criar atividades de sala de aula num ecrã partilhado (entre outras). Isto é, o professor partilha a atividade no seu computador, tablet/ipad ou smartphone/iphone (com ou sem projeção) e os alunos, com os seus equipamentos, juntam-se à atividade.

Para além deste tipo de tarefa ocupar a utilização e retirar a atenção de outras funcionalidades do smartphone (isso é estimulado especialmente pelos tempos limitados de resposta, exige foco), funciona perfeitamente como uma ferramenta de avaliação formativa. Também permite criar momentos de debate e discussão, por exemplo, quando existem discrepâncias enormes nas respostas. Esta funcionalidade ainda se torna mais interessante quando as perguntas não têm resposta certa, qualquer uma poderá ser a correta, depende da forma como é interpretada ou da opinião de cada aluno.

O impacto de uma palavra: JOGO!

Background photo created by rawpixel.com – www.freepik.com

Em várias situações, quando se abordam as questões ligadas às ferramentas digitais que têm potencialidades de gamificação (como é o exemplo do
Kahoot!), alguns colegas, pelas suas convicções, consideram imediatamente que jogo é sinónimo de diversão, de facilitismo (experimentem jogar um bom jogo de estratégia para ver a facilidade).

A partir desse momento há um bloqueio no conceito e muito dificilmente conseguirá implementar uma estratégia diferenciada com este género de ferramenta.

Importa referir que a gamificação é apenas uma metodologia, uma estratégia de envolvimento dos alunos nos conteúdos de uma determinada disciplina (ou em várias), mas não significa necessariamente que tudo passe a ser um jogo. Pode haver momentos em que sim, e outros em que não. Existem exemplos muito interessantes de aplicabilidade nesta área. Vale a pena investigar um pouco.

Em relação ao Kahoot!, sim, pode ser utilizado como estratégia de gamificação, mas não só. Os alunos não estão obrigatoriamente a participar num jogo, onde as perguntas de resposta múltipla são uma a única opção. O Kahoot! permite criar um ambiente interativo na sala de aula, à volta dos conteúdos das disciplinas (ou não).

Partindo das várias funcionalidades do Kahoot! , com criatividade e trabalho colaborativo entre colegas da mesma área (ou áreas distintas), é possível criar vários tipos de atividades com a mesma ferramenta.

Deixo-vos, como prometido na Headline, 4 formas para usá-lo em sala de aula:

Testar conhecimentos de um conteúdo da aula.

O formato de teste mais habitual. Depois de apresentados e trabalhados os conteúdos numa aula (ou conjunto de aulas), pode utilizar-se um Kahoot para monitorizar os conhecimentos dos alunos. Se esta metodologia passar a ser consistente e valorizada na avaliação dos alunos, é bem provável que exista empenho e interesse nas repostas (aqui é explorada a competitividade), potencializando, em muitos casos, uma maior concentração na fase anterior.

Uma das melhores sugestões para este tipo de aplicação é tentar definir uma estratégia vertical que permita a criação de rotinas nos alunos ao longo dos ciclos. Certamente, quando chegarem ao Secundário, a complexidade neste tipo de exercícios, e também nas ferramentas, pode ser muito rentabilizada pelos professores com os seus alunos.

Revisão de vocabulário

No final de uma aula, ou num ponto estratégico de uma unidade curricular, o Kahoot! pode ser uma ferramenta útil para fazer uma revisão dos termos de vocabulário dos alunos. Pode ser um exercício complementar à criação de um glossário da disciplina.

O grau de dificuldade ser criado de acordo com o estágio do aluno. Sempre com uma perspetiva formativa. Como os resultados são imediatos, em cada termo é possível fazer um reforço, sempre que necessário. Os termos podem ser associados também a imagens.

Pesquisas de temas de Interesse dos alunos.

Sempre que é necessário definir temas há momentos de discussão de ideias. O Kahoot! pode também ser utilizado para tentar monitorizar quais os principais interessentes dos alunos na área temática a trabalhar, através de alguma pré-seleção feita pelo professor. As votações poderão ser feitas através de divisão de temas, subtemas ou áreas mais específicas.

Quando existe liberdade de flexibilização do currículo, é possível encontrar temas que possam abordar conteúdos que sejam do interesse dos alunos. Com alguma criatividade, é possível com o levantamento das preferências dos alunos, de modo a funcionar como orientador na planificação posterior.

Construir conhecimento com base em imagens

Utilizando a criatividade e explorando a leitura das imagens, é possível criar um Kahoot! em que a pergunta é apenas uma foto que conduz a uma das respostas com base na interpretação do aluno. Analisar, discutir e aprofundar conceitos nas mais diversas áreas com este tipo de tarefa é um desafio muito interessante e que pode promover discussões muito produtivas.

Podem ser trabalhados os conteúdos específicos de uma área disciplinar, ou então temas transversais da Cidadania, Sexualidade, Religião, Valores, Violência, Direitos de Autor, entre muitos outros.

School photo created by freepik – www.freepik.com

Estes são apenas 4 exemplos de uma infinidade de ideias potenciais de aplicação, que estão ao alcance de cada um de nós. Para qualquer um dos casos que apresentei, é possível procurar exemplos na comunidade Kahoot!. Independentemente da área do conhecimento, é muito provável que consigas encontrar algum exemplo que poderás utilizar como base para a criação do teu próprio Kahoot!.

Já agora, se já utilizaste o Kahoot! em situações diferentes, da tua forma favorita e com resultados, deixa um comentário aqui no blogue, no Twitter ou numa das Redes Sociais: Facebook, LinkedIn ou Google+. Se as ideias começarem a chegar prometo fazer um artigo com a compilação.

Estrutura do comentário:

  • Título da tarefa Kahoot!
  • Aplicação na sala de aula (forma, avaliação, como correu?)
  • Autor(a)

Boas experiências… e investigações!

Créditos da Imagem de Destaque: www.kahoot.com

Tags : ferramentaskahootSala de aulaTelemóvel

Leave a Response