close

Sobre mim…

Luís Varela (Professor, Formador & Empreendedor)

Luís Varela

Nasci em Lisboa mas cresci no Alentejo (Serpa), mas que me desculpem os Lisboetas, eu sou Alentejano (adotado)! As raízes da minha personalidade dividem-se entre os campos da margem esquerda do Guadiana e junto à zona Raiana – Vila Verde de Ficalho (avós maternos) e na Beira Baixa, bem perto do centro geodésico de Portugal – Fundada, Vila de Rei (avós paternos). Foi neste contexto que aprendi quase tudo e onde cresci com toda a liberdade e em contacto com a natureza. Nesses locais bem distintos, com a orientação (voluntário à força) dos meus pais e avós, fui pastor (sim, guardava ovelhas e cabras), agricultor (tratava da horta), vendedor (a minha avó materna vendia os produtos no mercado), cavaleiro (mas sem cavalo, era uma burra e uma mula) e muitas outras tarefas: ordenhar vacas, limpar pocilgas, regar, cavar… e, ainda assim, tinha tempo para brincar e explorar. Uma infância feliz que me trouxe tantas competências e autonomia, a base estrutural!

No início da minha carreira em educação, em 1997, como professor numa sala de aulas no interior do Alentejo, em Moura, as tecnologias estavam a das os primeiros passos. A Internet já estava presente na escola mas era muito pouco utilizada. Muitos riam quando abordava este tema, porque achavam que era apenas uma novidade, como tantas outras, passaria de moda (modernices).

Desde então, a minha utilização quase diária da Rede ajudou-me a conquistar muitas competências e a desempenhar um papel de apoio em todas as escolas por onde passei. Ajudar os outros a superar dificuldades sempre foi a minha forma de estar.

Ao longo dos anos fui participando em inúmeros encontros sobre utilização das Tecnologias em Sala de Aula, especialmente em eventos que tivessem a presença de professores a apresentar as suas práticas e a mostrar como funcionou. Esta é, na minha opinião, uma forma muito poderosa de gerar conhecimento e de encurtar caminhos.

Grande parte da minha vida profissional tem ligação direta às Escolas, no entanto, nunca me resignei a aceitar a rotina. O inconformismo e o questionamento fazem parte da minha essência. Por isso, sempre procurei novos conhecimentos, novas experiências e novos desafios.

Atualmente em Sesimbra, para além de Professor e Formador, também tenho feito trabalhos de assistência e manutenção do parque informático das escolas, colaborado em alguns projetos nacionais, especialmente em colaboração com a Escola Superior de Educação de Setúbal (na qual acumulei 5 anos como professor externo) e o Centro de Competência TIC da ESE de Setúbal, sediado nesse edifício maravilhoso da autoria de Siza Vieira.

A vida como Empreededor já vem, penso eu, desde muito jovem. Pelo simples facto de ter começado a “trabalhar” com 13 anos (exploração juvenil?) num bar de praia no Algarve – Monte Gordo, desde cedo percebi que trabalhar com qualidade e empenho gera sempre bons resultados. E percebi também que a iniciativa e o sentido de oportunidade são aliados para esses mesmos resultados. A partir daí trabalhei todos os verões na restauração.

A colaboração numa rádio local, participação em Associação de Estudantes, Comissão de Finalistas (Secundário e Universidade), Tuna Universitária, e muitas outras atividades, sempre me deram muitas competências e me fizeram perceber que estar parado é sinónimo de apatia! (que novidade) E a apatia, em mim, gera desconforto, portanto o melhor é estar sempre em movimento!

Curiosamente, mais de 30 anos depois, tive a oportunidade de explorar, em família, uma área concessionada na praia, desta vez em Sesimbra. Uma concessão familiar que existe (com base num primeiro registo oficial) desde 1860.

Agora, este desafio: Educatech.pt – Literacia Digital.

O Porquê deste Blogue?

A ideia do blogue Educatech.pt surge de algumas sensações e frustrações que fui sentindo ao longo dos últimos anos. Apesar de ser discutível, e de não querer ferir nem julgar as convicções de todos os que defendem a escola no seu formato mais tradicional, verifico que as tecnologias na escola são utilizadas com pouca inovação. Ou seja, fico muitas vezes com a sensação de que se acha que, apenas por utilizar as tecnologias, as práticas mudam automaticamente, os problemas são resolvidos. Parece-me errado! Para além disso, acho que não existe muita consistência nem persistência na alteração das práticas com o uso das potencialidades das muitas opções existentes na Internet e que podem ser usadas no computador, no tablet ou no telemóvel.

Paralelamente, sei que o apoio presencial é muito limitativo, não tem escalabilidade, para chegar a muitas pessoas existe sempre a necessidade de horários compatíveis e um contacto muito direto. O apoio e esclarecimento é mais produtivo no contacto de um para um.

Ora, se fisicamente isto não é possível, porque não utilizar as novas tecnologias para conseguir cumprir este objetivo? O mais interessante é que o formato resulta, que o digam os experts em ensino à distância. As maiores referências mundiais na área da educação estão a apostar fortemente nos sistemas EAD. Apenas como curiosidade, o mercado da educação online está a crescer de uma forma impensável pelos mais cépticos. (By The Numbers: MOOCs in 2018)

Com a noção de que não tenho soluções milagrosas e de que não escrevo nem digo verdades absolutas, os meus desafios são: apresentar ideias e ferramentas que sejam úteis para melhorar o conhecimento e as competências digitais dos professores e contribuir com palavras de motivação para fazermos mais e melhor. Esta será a minha contribuição,

Por onde irei começar…

Sendo este um projeto paralelo a todas as minhas (muitas) ocupações, a Literacia Digital será a área principal das minhas publicações. Sendo uma área tão abrangente, irei contextualizá-la no trabalho dos professores e dos Alunos e, sempre que possível, informações que ajudem os Pais e Encarregados de Educação, tanto ao nível do trabalho escolar dos seus educandos como no conhecimento dos Riscos da utilização da Internet.

Obrigado pela vossa atenção!